Super Liga ameaçada - Revolta após a glória


Após vibrarmos com a vitória, com a glória dos três ouros do vôlei masculino.
Comemoramos muito a volta dos nossos astros ao vôlei nacional.
Choramos com o vôlei de praia feminino e a recuperação de Juliana.
Aplaudimos a aposentadoria de Jackie Silva, Shelda e Leila
Fizemos apostas com a separação de Ricardo e Emanuel
Estamos apaixonadas pela alegria do vôlei feminino de quadra
Temos os melhores técnicos de vôlei do mundo.
Vamos sediar uma Olimpíada.
E?

A CBV encerrou o patrocínio com a CVC - Viagens. Este patrocínio era focado basicamente na hospedagem e passagens aéreas.
Outro problema: a exigência da TV Globo em fazer apenas um jogo nas finais.

Leiam abaixo a coluna de Bruno Voloch que explica em detalhes o ocorrido.

"Após mais um título, vôlei brasileiro enfrenta crise e revolta de clubes
A semana era ideal para comemorações, afinal a seleção masculina ganhou pela terceira vez seguida a copa dos campeões.

Mas nem tudo é festa. Aliás, longe disso. Quando chegar do Japão, o Presidente Ary Graça terá que enfrentar a revolta de algumas equipes.

A Superliga, maior campeonato do País, está em crise mesmo antes de começar.  

Algumas equipes podem desistir de jogar a competição, tudo porque o contrato com a CVC Turismo, que subsidiava passagens e hospedagens, não foi renovado.

A entidade por sua vez, afirmou que não vai arcar com esses custos.

Os clubes foram avisados via e mail  pela entidade o que causou indignação.

O clima é ruim e a revolta é grande, especialmente nas equipes de menor investimento.  

Em Minas, o Mackenzie através do Presidente Durval Guimarães confirmou que o clube não poderá bancar mais essa despesa, fora os salários, e que a CBV precisa dar uma solução para o caso. 


O acerto, segundo ele, é que a CBV pagaria hospedagem e passagens aéreas para todas as equipes.

Aliás, em Abril desse ano o Presidente da CBV disse que a entidade havia renovado o contrato com a CVC por mais uma temporada .

Na época ele declarou: “A empresa arcará com todo o custo de passagens terrestres, aéreas e hospedagens, desonerando os clubes”.

A CBV tem contrato com a TV Globo até 2016 e segundo Guimarães, poderia usar essa verba para pagar essas despesas extras.

O até então aliado de Ary Graça, Sérgio Bruno Zech Coelho, Presidente do Minas declarou que a situação é revoltante.

Sérgio disse que tentou falar com Ary mas não conseguiu e não há como cumprir de ônibus viagens ao Mato Grosso, Pernambuco e Goiás.

O aumento do custo da competição para os clubes, em caso de não haver subsídio, é enorme e todos já estavam com orçamento fechado.

Uma fonte de dentro da CBV disse ao blog, que a confederação está fazendo contatos com empresas aéreas para tentar solucionar o problema das viagens. Depois disso eles tentarão fechar com redes hoteleiras.


Existe ainda a possibilidade da CBV ajudar somente os “times pequenos” o que certamente aumentaria a crise porque nem mesmo os “grandes” deixaram verba destinada as viagens.    
   
O Sport de Recife já anunciou que sem custeio de passagem e hospedagem, ficará de fora da Superliga.

O Brasil Vôlei de São Paulo que recentemente perdeu Dante para a Rússia, vai precisar rever os custos, até porque antes era patrocinado por um banco.

Macaé, Álvares Cabral-ES, Upis-DF, Funvic-MT e a Cyclus-SC ainda não sabem o que fazer para jogar a superliga.

O Presidente do Clube Álvares Cabral de Vitória-ES, Afonso Deorce, em nota oficial para a imprensa, disse que o clube vai esperar um pronunciamento oficial da CBV sobre o assunto.

Segundo o dirigente, muitas equipes contavam em seu planejamento com o custeio das passagens e hospedagem pela CVC.

Hoje, Afonso avisa que o clube não tem como bancar esses custos, uma vez que a confirmação na competição foi feita quando ainda existia a parceria com a empresa.

Como se não bastasse, a fórmula de disputa não agradou a maioria dos clubes.

A decisão em uma única partida foi a principal reclamação, mas essa é uma exigência da TV Globo que somente dessa forma garante a transmissão das finais.

O Rio de Janeiro não será mais a sede das finas e sim São Paulo.     

No início do mês, a CBV chegou a anunciar a maior edição de todos os tempos, com 30 equipes: 17 masculinas e 13 femininas. "


1 comentários:

  1. Em primeiro lugar, essa Globo é uma fanfa mesmo... Quer mudar as finais? Azar o dela, vai ficar querendo! A CBV tinha que negociar com a Band, Record, Rede TV... seria a garantia de que teríamos muitos jogos transmitidos em TV aberta...

    E em segundo lugar, essa CVC também é uma fanfa. O vôlei nacional é uma mina de ouro! Literalmente! E agora, com a volta de grandes craques, a visibilidade será muito maior!!! Aí (segundo o que saiu n'O Globo e no Lancenet!) ela diz que "a renovação do patrocínio na integra as estratégias de marketing traçadas para 2010". Que estratégias são essas? A de falir a empresa?

    O vôlei nacional tem uma estrutura de dar inveja a qualquer esporte, no mundo todo. Mas nem assim o esporte consegue vencer a dependência das grandes empresas...

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo ao Zona do Agrião!


- Não deixe de Comentar;
- Aproveite para ser um de nossos seguidores;
- Mande suas sugestões;

Obrigado pela visita,

Equipe Zona do Agrião!

 

Flickr Photostream

Botafogo Flamengo Fluminense Vasco
Corinthians Palmeiras Santos São Paulo
Atlético MG Cruzeiro Grêmio Internacional

Twitter Updates

Meet The Author