Editorial ZDA

Santos de Pelé ou o São Paulo da modernidade?

Entre 1956 e 1974, o rei ajudou o alvinegro a construir uma supremacia que parecia insuperável. Mas os números do São Paulo das últimas duas décadas colocam em discussão algo que ninguém ousou questionar até hoje

Pelé chegou ao Santos em 1956. Tinha 16 anos, muitos sonhos e uma incrível capacidade de deixar boquiaberto quem o via desfilar com a bola, sempre jogando em sentido vertical.

Quando deixou a Vila em 1974, estava consagrado, milionário e pronto para, anos mais tarde, receber o título de atleta do século.

O rei sintetizou a arte. Foi o cérebro de um time que dominou o Brasil e o mundo. Com ele, o Santos ficou famoso, os cofres do clube foram inundados de dólares e as glórias tornaram-se referência.

Pelo Peixe, Pelé foi campeão intercontinental em 1962 e 1963, campeão da Libertadores em 1962 e 1963, campeão da Taça Brasil em 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965, campeão do Robertão em 1968, campeão do Torneio Rio -São Paulo em 1959, 1963, 1964 e 1966, e campeão paulista em 1956, 1958, 1960,1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973.

Pois a presença do São Paulo mais uma vez na ponta da tabela do Campeonato Brasileiro, faltando três rodadas para o encerramento, me motivou a mergulhar de cabeça nos números.

Busquei como referência os últimos 18 anos, o mesmo tempo que Pelé permaneceu no Santos, para estabelecer comparação. Diga-se de passagem, sem nenhuma intenção de levantar polêmica.

De 1991 a 2009, o tricolor conquistou um título mundial da FIFA (2005), dois títulos intercontinentais (1992 e 1993), três Libertadores (1992, 1993 e 2005), duas edições da Recopa (1993 e 1994), uma Copa Conmebol (1994), quatro campeonatos brasileiros (1991, 2006, 2007, 2008 – o de 2009 está muito próximo), um Torneio Rio-São Paulo (2001) e cinco vezes o campeonato paulista (1991, 1992, 1998, 2000 e 2005).

Em números absolutos, o Santos de Pelé levantou mais taças, 25 a 19. Mas vale citar que a maioria delas foi comemorada em âmbito regional, nada menos que 11. Como não há critérios oficiais para definir qual dos dois clubes é mais glorioso, deixo a questão para meus leitores.

Mas um fato não há como contestar: a supremacia do São Paulo nas duas últimas décadas é tão gritante como foi a do Santos de Pelé.

Com um diferencial. Depois que o maior camisa 10 de todos os tempos vestiu pela última vez a camisa branca do Peixe, o clube nunca mais foi o mesmo. Já o São Paulo…..

Fonte - Milton Neves


9 comentários:

  1. Deco, você sabe do respeito que eu tenho pelo São Paulo, sobretudo pelo trabalho mais do que competente de sua diretoria, porém, a respeito desta comparação que você propôs, eu tenho um pensamento que talvez ilustre bem a diferença do Santos de Pelé, para o São Paulo de hoje. Enquanto o Santos do Rei era admirado e idolatrado por torcedores de todas as equipes, o São Paulo moderno só faz feliz a sua própria torcida. A frieza dos números às vezes é perversa, meu amigo...Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Vc tem razão RJ, e tenho outro pensamento para vc : épocas diferentes, torcidas diferentes! Não existia essa rivalidade assassina, cruel, inútil e imbecil! Não existia a inveja, todos sabiam admirar o bom, o lindo, o maravilhoso! Hoje, nutrem inveja , a raiva do "inimigo" ! Fosse o SPFC de hoje, nos Tempos de Pelé, tenho certeza que a admiração seria a mesma ! Abs!

    ResponderExcluir
  3. Deco, pense bem: será que o São Paulo, com esse futebol de resultados (feio) que joga, encantaria o mundo como fez o Santos de Pelé? A Hungria de Puskas, por exemplo, nunca ganhou nada, mas é lembrada até hoje. Não é o "quanto se fez", mas sim "o como se fez" que conta.Lógico que nenhuma filosofia de botequim é capaz de tirar os méritos do seu Tricolor. Abração!

    ResponderExcluir
  4. Acho que, para o SP de hj, falta justamene um Pele'. Um cara que torne o espetaculo mais belo, menos frio e calculista. A eficiencia do SP eh incrivel, nao eh a toa que vem dominando o cenario nacional. Mas falta o espetaculo, os gols antologicos... Acrescentaria `a sua lista, RJ, o Carrossel Holandes. Nao ganhou a Copa, mas a beleza eficiente ou a eficiencia bela dakele time ficou marcado para sempre.

    ResponderExcluir
  5. Comparar o Santos a qualquer outro clube e sua história a qualquer estória,seria o mesmo que tentar algum dia achar similares aos Beatles .É como tentar achar um novo planeta habitado no sistema solar que conhecemos ou em outros desconhecidos,mas vale tentar.

    ResponderExcluir
  6. Nilson, o texto é de um Santista doente !!! ........rsrs

    ResponderExcluir
  7. O Santos de Pelé foi soberano naquela época assim como o tricoloré hoje soberano.

    ResponderExcluir
  8. Meu grande amigo Deco, não dá para comparar um time com outro, mas as conquistas citadas por vc mostram que o São Paulo domina sim o futebol nacional nestes ultimos anos, e queira Deus que este reinado continue. Abs

    ResponderExcluir
  9. O texto é de uma pessoa que sei intitula Santista. Para nós Santistas de verdade, essa pessoa citada acima, é persona no n grata em nosso meio. Prefiro fingir que esse cidadão não existe. Alias, pouca falta faz o Senhor mencionado. Santista ele não é. Na minha modesta opinião, não passa de um crápula. Tenho dito.

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo ao Zona do Agrião!


- Não deixe de Comentar;
- Aproveite para ser um de nossos seguidores;
- Mande suas sugestões;

Obrigado pela visita,

Equipe Zona do Agrião!

 

Flickr Photostream

Botafogo Flamengo Fluminense Vasco
Corinthians Palmeiras Santos São Paulo
Atlético MG Cruzeiro Grêmio Internacional

Twitter Updates

Meet The Author