Ainda falta alguma coisa...



Dinheiro não é tudo...


À base do muito dinheiro de seus donos árabes, o Manchester City montou um timaço para a temporada 2009/2010. Tevez, Adebayor, Roque Santa Cruz e Gareth Barry foram apenas alguns dos nomes incorporados a um elenco que já contava com valores do calibre do brasileiro Robinho e do bom carequinha irlandês Stephen Ireland. Graças ao alto investimento feito, a torcida dos azuis de Manchester passou a acreditar cegamente que o time poderia, finalmente, se juntar ao quarteto fantástico do futebol inglês, formado por Arsenal, Chelsea, Liverpool e pelo rival United. No entanto, passados 11 jogos válidos pela Premier League, a equipe do técnico Mark Hughes amarga apenas a sexta colocação, com apenas 20 pontos ganhos até aqui - hoje o City empatou em casa com o modesto Burnley pelo placar de 3 a 3.
Várias causas podem ser levantadas para explicar o começo de campeonato um tanto decepcionante do primo menos famoso de Manchester. Em relação a 2008/2009, houve nada menos que 7 mudanças no onze titular do time. Da equipe base da temporada passada, somente Zabaleta, Bridge, Wright-Phillips e Ireland não amargam o banco de reservas. Além do desentrosamento, há de se ressaltar algumas opções no mínimo curiosas de Mark Hughes na hora de escalar a equipe - o paraguaio Roque Santa Cruz não é pior que o "maluco beleza " Craig Bellamy - e também os problemas físicos vividos por atletas importantes, entre eles o "Rei das Pedaladas" Robinho.
Assim como o galáctico Real Madrid, o Manchester City passa por uma prova de fogo. A tendência natural é que, devido à qualidade de seus atletas, o time deslanche nas competições em que disputa. Entretanto, todo esse processo exige do torcedor, o maior do patrimônio de um clube, um atributo que a maioria deles não tem: a paciência. Abraços, galera!!!




Por Roberto Junior (colaborador de futebol internacional)

1 comentários:

  1. A pior coisa que aconteceu ao City foi o fim do Oasis...

    Falando sério agora: o Chelsea tem uma história parecida. Não era uma das forças do futebol inglês, mas com a chegada de uma montanha de dinheiro, montou uma superseleção de craques, e agora é um dos grandes do mundo. A principal diferença, a meu ver, é que o City não contratou os melhores, como fez o Chelsea. São bons jogadores, mas não o suficiente.

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo ao Zona do Agrião!


- Não deixe de Comentar;
- Aproveite para ser um de nossos seguidores;
- Mande suas sugestões;

Obrigado pela visita,

Equipe Zona do Agrião!

 

Flickr Photostream

Botafogo Flamengo Fluminense Vasco
Corinthians Palmeiras Santos São Paulo
Atlético MG Cruzeiro Grêmio Internacional

Twitter Updates

Meet The Author